Secretário da Câmara pede informações sobre eventual dívida do Brasil com a ONU

20/11/2020 08h04 - Atualizado há 12 dias

Projeto do governo destinava recursos para vários organismos internacionais, mas o texto foi modificado no Congresso e parte do dinheiro foi alocada no Ministério de Desenvolvimento Regional

Cb image default

Gustavo Sales/Câmara dos Deputados

O secretário de Relações Internacionais da Câmara dos Deputados, deputado Alex Manente (Cidadania-SP), pediu ao Ministério das Relações Exteriores informações sobre as contribuições brasileiras ao sistema da Organização das Nações Unidas (ONU).

“Temos com a ONU um vínculo importante, fundamental para as diretrizes políticas e econômicas, e o Brasil não pode ficar inadimplente”, disse nesta quinta-feira (19) o secretário da Câmara. “Quero respostas para tomar providências”, afirmou Manente.

Em ofício enviado na terça-feira (17) ao ministro Ernesto Araújo, o secretário questiona sobre os riscos de uma eventual inadimplência do Brasil nas Nações Unidas. A preocupação, ressaltou Manente, decorre “das recentes notícias sobre o tema”.

Entre outros pontos, o secretário pergunta a Araújo se uma possível falta de pagamento do Brasil à ONU está relacionada a proposta aprovada por consenso pelo Congresso Nacional no dia 4 (PLN 40/20). O texto foi enviado para sanção – o prazo vai até dia 26.

Na versão original do Poder Executivo, o PLN 40, com um crédito suplementar de R$ 6,2 bilhões, reservava R$ 1,24 bilhão a vários organismos internacionais, sendo quase metade desse valor (R$ 616 milhões) destinada especificamente para as Nações Unidas.

O texto acabou alterado por acordo de líderes. O dinheiro das entidades multilaterais – além da ONU, a Organização Mundial do Comércio (OMC), o Mercosul e outras –, foi alocado principalmente no Ministério do Desenvolvimento Regional (R$ 1,13 bilhão).

Reportagem – Ralph Machado

Edição – Natalia Doederlein

Fonte: Agência Câmara de Notícias