Pontas duplas: especialista dá dicas para evitar e tratar

14/09/2023 04h55 - Atualizado há 5 mêses

Para a hairstyle Pati Macedo, cortar os fios nem sempre é a única solução.

Cb image default
(Foto: Pexels/Astra Zilberte-Linde)

Inimiga do cabelo saudável, as pontas duplas são um problema que quase todos já passaram. Nosso cabelo sofre bastante com fatores externos, mas o estado dos fios diz muito sobre a forma como nos alimentamos, já que isso influencia diretamente na saúde capilar.

A hairstyle Pati Macedo, que compartilha sua rotina de trabalho com mais de 88 mil seguidores no Instagram e quase 40 mil no Tik Tok, conta que as pontas indesejadas surgem devido a vários fatores, se apresentam de diferentes tipos e a solução desse problema nem sempre está em cortar os fios.

Confira abaixo um guia da especialista para te ajudar a entender e tratar as pontas duplas:

1) O que são pontas duplas?

“De imediato, é importante dizer que, além de duplas, elas podem ser triplas ou quádruplas. Mas respondendo, as pontas duplas nada mais são do que o desgaste da fibra capilar causado por procedimentos químicos e agressores externos, como o sol ou o vento. Além disso, são grandes inimigas do desenvolvimento saudável dos fios, já que elas impedem que o cabelo cresça e se fortaleça, além de causarem um aspecto desagrdável”, diz Pati.

2) Como surgem? Existe algum tipo de cabelo que é mais propenso a ter pontas duplas?

“Além de fatores externos como sol e vento, também podemos citar que o uso de fontes de calor, como chapinha e secador, e os processos químicos, como tinturas ou alisamentos, aceleram esse desgaste. Mas fatores internos como má alimentação e beber pouca água também interferem na saúde capilar. Sobre a incidência, em geral, elas aparecem em todo e qualquer tipo de cabelo, mas nos crespos e cacheados são mais comuns porque, geralmente, são fios mais secos, uma vez que seu formato em ‘espiral’ impede que a oleosidade natural chegue com mais facilidade até as pontas”, explica.

3) Quais os tipos de pontas duplas?

Pati cita seis tipos, sendo eles: ponta dupla jovem, ponta dupla em Y, ponta dupla afunilada, ponta dupla incompleta, ponta dupla árvore e ponta dupla pena.

Ponta dupla jovem: ocorre quando outra pontinha bem pequena começa a se soltar do fio principal;

Ponta dupla em Y: em determinado ponto, o fio se parte de forma igual, criando “dois caminhos”;

Ponta dupla afunilada: nesse caso, o fio não chega a se partir, mas vai se afunilando e ficando bem ralo em direção à ponta do fio principal;

Ponta dupla incompleta: trata-se daquele fio que mantém a ponta unida, mas que se dividiu ao meio ao longo do comprimento;

Ponta dupla árvore: uma ramificação de pontas vão surgindo a partir de outras em um mesmo fio, como se fossem galhos;

Ponta dupla pena: a mesma ramificação ocorre, mas apenas na região da ponta mesmo, criando pequenas pontinhas como se fossem uma pena.

4) Como solucionar o problema?

Pati Macedo cita três soluções que vão ajudar, que são:

- Investir em tratamentos de hidratação e reparação dos fios;

- Quando fizer uso de fontes de calor, não abra mão de um protetor térmico;

- Beber água de forma regular e manter uma alimentação saudável.

5) Cortar, em alguns casos, é a única solução?

“Nem sempre. Esse realmente é o jeito mais rápido de resolver a situação, mas muito mais do que cortar, é importante cuidar do cabelo para evitar que apareçam novas pontas duplas. Iniciar um cronograma capilar pode fazer diferença nos fios, devolvendo a reposição de água, nutrientes e proteínas, o que fará muito bem e é sempre bem vindo”, sugere. “Comece fazendo isso e não esqueça de apostar no uso de produtos que minimizem os danos do dia a dia, como o aquecimento do sol. Por fim, sempre que possível, procure um profissional que te ajude nisso. Com certeza, fará diferença”, finaliza.

FONTE: GUIAME