Estrias e flacidez: Dá para evitar?

23/11/2023 04h42 - Atualizado há 3 mêses

O esteticista e enfermeiro Dr. Suélio Ribeiro esclarece os cuidados para uma pele saudável.

Cb image default
(Foto: Imagem ilustrativa/Unsplah/Nataliya Melnychuk).

Em 2022, o Brasil registrou mais de 7 milhões de buscas por “fazer a pele parecer mais saudável'', de acordo com uma pesquisa da Kantar, o que destaca a relevância da rotina de cuidados com a pele e o interesse crescente por procedimentos estéticos.

A busca surge por diversos fatores, como perda de peso, gravidez, mudança de hábitos e estilo de vida. Independente do motivo, a pessoa se vê agora com as estrias e a flacidez, e vai em busca de opções de como lidar com essa dupla.

“É quase certo que em algum momento da vida essa dupla vai chegar, mas é possível utilizar artifícios para diminuir, combater a clássica aparência delas ou, ainda, prevenir ou retardar o máximo possível a chegada das estrias e da flacidez”, conta o esteticista e enfermeiro Dr. Suélio Ribeiro.

As estrias aparecem quando o colágeno se rompe na pele, ou seja, é quando as fibras elásticas se quebram. Essas fibras normalmente aguentam uma distensão moderada. Quando essa película se estica muito, ultrapassa o limite dessas fibras, rompendo o tecido e surgindo a estria.

A flacidez, outra inimiga, também é um processo natural, em decorrência do envelhecimento e da perda de peso. Com o passar dos anos, acontece a queda na produção de colágeno, responsável pela firmeza e elasticidade da pele, deixando-a como se estivesse à deriva sem suas proteções naturais.

De acordo com a Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), a pele, maior órgão do corpo humano, também é o que mais reflete os efeitos da passagem do tempo, e dependendo da genética e do estilo de vida, até a meia-idade, suas as funções fisiológicas normais podem diminuir em até 50%.

“Tanto as estrias como a flacidez podem ser agravadas se estiverem aliadas à hábitos ruins, como alimentação desregrada, tabagismo, sedentarismo, abuso de álcool, radiação solar, entre outros”, explica Dr. Suélio. Segundo a SBD, esses fatores aceleram o trabalho do relógio biológico, provocando o envelhecimento precoce.

Vale a pena também investir em alimentos que são ricos em nutrientes para ajudar a driblar esses incômodos, como a gelatina, que tem grandes quantidades de colágeno, frutas vermelhas, que são ricas em antioxidantes, cítricas, que são referências em vitamina C e alimentos de cor laranja, que possuem vitamina A, além de manter a hidratação em dia.

“O conselho de alimentos que não devem fazer parte da rotina são os de sempre: evitar o consumo exagerado de açúcar, encontrados em doces e refrigerantes, álcool, frituras e alimentos ricos em sódio, como embutidos e industrializados”, indica o profissional.

O esteticista ainda afirma que hoje há uma infinidade de tratamentos estéticos disponíveis em clínicas especializadas. “Para promover o tônus corporal, o mercado oferece várias opções com equipamentos tecnológicos, importados e que possuem preços variados, mas que nem sempre estão disponíveis para todos os bolsos, infelizmente”.

“Para driblar esse problema, a melhor opção é procurar por tratamentos não-invasivos com alta performance, encontrados em produtos home care, que possam ser aplicados em casa, pela própria cliente. Isso faz com que o custo de um tratamento diminua drasticamente”, aconselha.

FONTE: GUIAME