VENDILHÕES DO TEMPLO: Agora negociam o voto dos fiéis

13/10/2020 13h40 - Atualizado há 9 dias

Autoridades religiosas "acertam" o "apoio" da igreja a candidatos, seja qual for sua vida pregressa ou sua índole

Cb image default
Divulgação

Quando Jesus Cristo, a cerca de 2.000 anos atrás, explusa os vendilhões do templo, preparava o "HOMEM" para não ser manipulador ou manipulado, em sua fé, por falsos profetas, pessoas que usam a boa fé do próximo para lucrarem financeiramente.

Mas nem essa passagem, conhecida a dois milênios, é suficiente para evitar que chefes religiosos conduzam seus rebanhos ao encontro dos lobos famintos da política.

É muito comum vermos o apoio incondicional de líderes religiosos a pessoas, não de índole duvidosa, mas comprovadamente de má índole. Pessoas que não tem moral para conduzirem suas próprias vidas, sendo tratadas como exemplos a serem seguidos e até conselheiros e orientadores de grupos familiares.

Que achem isso bom e queiram isso para suas famílias é questão de livre arbítrio, mas que façam movimentos para colocarem essas pessoas dentro de poderes constituídos, como câmara de vereadores, se aproveitando do "corporativismo religioso", já é uma afronta a sociedade, pois o voto da sociedade é secreto e individual e não levado por meio de pregação e coletivo.

Condutas como essas deveriam ser barradas pela legislação, já que, só pela questão moral, dentro de estabelecimentos "religiosos" não são.

Como justificar apoio a conduta de uma pessoa que prega os ensinamentos cristãos, dentro de um templo, e mente, engana, ataca e ofende, em uma tribuna do legislativo?

Preste bem atenção, seu voto pode estar sendo negociado pelos VENDILHÕES DO TEMPLO!

Se você precisa que alguém diga como deve conduzir sua família, isso é problema seu. Agora se você precisa que alguém diga em quem você e sua família devem votar, isso é um problema da sociedade!

Por TONI REIS