Emenda de Fá parece letra de música de Marília Mendonça

05/04/2020 09h47 - Atualizado há 4 mêses

Não se sabe se o Vereador se amparou só em sua perspectiva de não se reeleger, mas o fato é que a proposta parece ter sido retirada de uma conversa de botequim, numa demonstração de desiquilíbrio e falta total de bom senso, aliás uma constante na vida do vereador.

Cb image default
Foto TONI REIS

Após o Executivo enviar o projeto de lei que fixa os subsídios para Prefeito, Vice e Secretários, sem alteração nos valores, e solicitar a Câmara que, em seu projeto, também não aumente os subsídios dos Vereadores, o Vereador Fá incluiu uma emenda, digna de seus discursos em tribuna e muito próxima das letras vingativas de canções do "sertanejo Universitário".

Fá, na emenda, reduz o subsídio de Prefeito para R$ 10.500,00, menos que os R$ 12.900,00 aprovados por Daltro Fiuza em 2012.

Para os Secretários Fá admite um subsídio de R$ 4.000,00, menor que os R$ 7.900,00 de 2012 e menor do que já recebem várias categorias, uma delas os conselheiros tutelares que, desde o dia 1º de abril, tem vencimentos de R$ 4.200,00.

Na realidade, na eminência de não se reeleger e não conseguindo se enquadrar em nenhum grupo social e político, o vereador Fá resolveu se investir do "complexo de Marília Mendonça", "quem eu quero não me quer, quem me quer não vou querer", mas principalmente a parte que diz "ninguém sofrer sozinho, todo mundo vai sofrer".

Para alguns é cômico, para outros é trágico, mas na realidade são as duas ciosas juntas. Temos que prestar muita atenção e vermos bem na mão de quem colocamos nossos destinos, pois um dia poderemos estarmos rindo de suas trapalhadas e no outro, com certeza, estarmos chorando com o resultado delas. Talvez com um cigarro e um copo de cerveja ou pinga, dependendo da "grana", ao som de Marília Mendonça.

"Ic, Quem eu quero não me quer, quem me quer não vou querer, ninguém sofrer sozinho, todo mundo vai sofrer", ic, ic, ic.

Por TONI REIS