Liberdade de expressão não autoriza a chamar ninguém de "canalha ou vagabundo"

28/05/2020 07h36 - Atualizado há 1 mês

Desprovidos de moral se escondem atrás da "liberdade de expressão" para atacar, ofender, denegrir e proferir discursos de ódio

Cb image default
Divulgação

"Pessoas" tem se aproveitado da falsa ideia de que o termo "liberdade de expressão" lhes garante o salvo conduto para que profiram ataques a moral e façam discursos de ódio contra outras pessoas.

O debate político se transformou em uma enxurrada de crimes de calúnia e difamação, onde muitos são julgados, condenados e agredidos, unicamente por não pertencerem ao grupo político dos agressores. Para esses nada está certo, nada de bom é feito e tudo é crime. Aproveitam a ignorância da população para transformarem simples atos administrativos em crimes hediondos, maculando o trabalho de servidores sérios, já na preparação de discursos para campanhas políticas futuras, sendo eles candidatos ou não.

Mas o que esperar de um País onde o ministro da educação é o primeiro a faltar com a mesma, desrespeitando, não só o judiciário e povos indígenas, mas toda uma Nação, quando usa termos chulos e palavras de baixo calão em uma reunião que deveria ser REPUBLICANA, mas que se mostrou uma junção de botequim, após uma pelada, onde o time do bar perdeu.

Hitler, Mussolini e Chaves, tem muitas coisas em comum, não só pelo fato de terem sido ditadores, mas de como chegaram a essa condição. Os três eram políticos, usaram o povo para passarem por cima dos outros poderes, criaram suas milícias e depois as usaram contra o próprio povo. Tudo isso com o direito de "liberdade de expressão", claro que usado somente a seu favor.

Por TONI REIS