Governadores e Prefeitos, que ignorarem a ciência, serão julgados pela pilha de cadáveres que produzirem

13/04/2020 07h30 - Atualizado há 1 mês

Muitos gestores, pressionados por empresários sem escrúpulos e devendo favores de campanhas, pegam a via contrária da ciência e afrouxam as medidas de contenção do Coronavírus.

Cb image default
Bruno Kelly/Reuters

No Brasil está havendo uma guerra entre a manutenção da saúde econômica de alguns empresários e a manutenção da vida da população. Na grande maioria dos casos, os financiadores de campanha, antes pelo CNPJ e hoje pelo CPF, levam vantagem sobre a imensa maioria da população, principalmente a mais sensível a mentiras e a que mais precisa da "mão" do governo.

Enquanto algumas empresas fecham suas portas para protegerem funcionários e seus familiares, ou mudam seu ramo de atuação para produzirem insumos médicos para doação, a grande maioria só está preocupada em se manter funcionando, faturando e de preferência aproveitando para pegar financiamentos ou fazer prorrogações de dívidas.

O sacrifício fica todo para a população, que em muitos casos nem o direito de ficar em casa e preservar sua saúde e de sua família, lhe é permitido.

Em uma ponta ficam as vidas, a parte mais frágil, no meio alguns empresários gananciosos e na outra ponta os governantes, os que tem a caneta, um item tão importante quanto uma máscara, um EPI ou até mesmo um respirador.

No final de tudo a história e a justiça irão cobrar as ações de nossos governantes, espero que de quem os pressionou também, e a quantidade de cadáveres irá mostrar o tamanho dos erros e dos acertos de cada um.

Por TONI REIS