Deram dois tiros na minha casa, mas não vão me calar

29/01/2016 00h00 - Atualizado há 1 ano
Cb image default
Divulgação

Na noite de ontem (28), por volta dás 22:30 hs, minha residência foi alvejada por disparos de arma de fogo, um deles ficou alojado em uma parede. Eram dois homens em uma motocicleta de cor prata, que simplesmente pararam em frete a casa e efetuaram os disparos, logo fugindo do local.

A polícia já está cuidando do caso, trabalhando para identificar os autores e os mandantes.

Sem dúvida, esse fato foi uma forma de intimidação, mas como tenho compromisso com a verdade e a vontade de mudar o que está errado em nossa Sidrolândia, não irei parar com meu trabalho, pois não quero ter remorso quando ouvir relatos de pessoas que, com doenças graves, tem seus exames marcados para “daqui alguns meses”. Não quero ter remorso quando ver pessoas saindo de postos de saúde, com receitas médicas nas mãos, a procura de dinheiro para comprar remédios, porque no posto não tem. Não quero ter remorso vendo salas de aulas superlotadas, com os seus filhos amontoados, feito entulho, porque as escolas são poucas. Não quero ter remorso quando servirem como merenda carne de porco moída. Não quero ter remorso a cada vez que chove, vendo suas casas ilhadas em meio a lama, porque as ruas não foram feitas como deveriam. Não quero ter remorso vendo o sofrimento das pessoas que residem na zona rural, sem estradas, sem saúde, abandonadas pelo poder público. Enfim, não quero ter remorso por ter recebido, de Deus, sentidos perfeitos e não os ter usado para ajudar meus irmãos e meu município.

Desde que comecei a trabalhar no jornalismo, nunca deixei de ser crítico e de apontar coisas, que no meu entendimento, são erradas. Creio que estou no caminho certo, pois o Ministério Público, Polícia Federal e GAECO, tem acolhido minhas denúncias e estão apurando os fatos. São dezenas de inquéritos, com as mais variadas irregularidades.

Primeiro tentaram me comprar, desistiram alegando que eu era muito “burro”, por não ter preço. Fizeram campanha, junto a empresários, para que não anunciassem em meu site, isso me traz dificuldades para sustentar minha família, mas eu, minha mulher e meus filhos, temos a certeza que nossa contribuição para a sociedade é muito importante, mesmo que tenhamos que passar por essas dificuldades.

Portanto, tanto para a população, que precisa saber o que está acontecendo com o dinheiro público, quanto para quem quer me calar, deixo um recado, só paro de denunciar em duas hipóteses, no dia em que tudo estiver “PERFEITO” ou quando chegar a hora de partir desse mundo, nessa segunda, vou tranquilo pois sei que fiz minha parte.

Toni Reis