Queda nos casos ativos não significa "imunidade de rebanho" em Dourados, alerta pesquisador

11/08/2020 08h27 - Atualizado há 1 mês

Índice de isolamento social em Dourados se mantém baixo

Cb image default

 Crédito: Hedio Fazan/Dourados News

Dourados tem apresentado redução importante no número de casos ativos da Covid-19. Depois de atingir a máxima de 1.642 pacientes com o novo coronavírus em potencial de contágio (25/7), a cidade vê esse índice reduzir. Teoricamente, isso significa que o número de transmissores da doença diminuiu, mas para o pesquisador e epidemiologista Júlio Croda, da Fundação Oswaldo Cruz, isso ainda não representam imunidade de rebanho na cidade.

Em entrevista exclusiva ao Dourados News, Croda explicou que é preciso que a população e as autoridades de saúde estejam em alerta para uma possível segunda onda de infecções. A cidade já registrou 4.618 casos positivos, sendo que 4.120 já estão recuperados. No entanto, ele garante que o número realmente considerável para avaliar a situação do município é o de ocupações de leito e óbitos.

“Esses não mentem. Testagem não apresenta seguramente a condição real de um município frente à pandemia. Isso por diversos fatores, como, por exemplo, o fornecimento das amostras para coleta. Mas, quando se trata de ocupação de UTI e óbitos, não tem jeito. Dourados tem demonstrado um bom comportamento no que trata das ocupações de leito, mas com a retomada das atividades é preciso que haja avaliação criteriosa das alterações nos números”, aconselha o pesquisador.

O boletim mais recente divulgado pela Prefeitura de Dourados mostra que a cidade já perdeu 63 vidas para a Covid-19. As ocupações hospitalares estão com 17 pacientes em leitos clínicos e 20 em leitos de UTI. Além dos douradenses, 6 pacientes que residem em outras localidades estão internados nos leitos de enfermaria e outros 12 nos leitos de terapia intensiva.

A cidade já chegou a ter 49 pacientes internados em tratamento intensivo contra a Covid-19. Isso em 24 de junho. Naquela data, 36 internações eram de pacientes que residem em Dourados e outros 13 da região.

QUEDA NAS CONFIRMAÇÕES POR SEMANA

Além de ter reduzido o número de casos ativos, caiu também a média de confirmações por semana. Conforme apresentado pelo Dourados News, após o pico de notificações entre os dias 16 e 22 de junho, quando a média diária chegou a 91 casos confirmados, a cidade teve entre julho e agosto uma redução significativa para, em média, 30,8 novos casos diários. 

Cb image default
Divulgação

Após pico em junho, Dourados tem queda na média de novos casos de Covid-19

Dourados tem apresentado redução importante no número de casos ativos da Covid-19. Depois de atingir a máxima de 1.642 pacientes com o novo coronavírus em potencial de contágio (25/7), a cidade vê esse índice reduzir. Teoricamente, isso significa que o número de transmissores da doença diminuiu, mas para o pesquisador e epidemiologista Júlio Croda, da Fundação Oswaldo Cruz, isso ainda não representam imunidade de rebanho na cidade.

Em entrevista exclusiva ao Dourados News, Croda explicou que é preciso que a população e as autoridades de saúde estejam em alerta para uma possível segunda onda de infecções. A cidade já registrou 4.618 casos positivos, sendo que 4.120 já estão recuperados. No entanto, ele garante que o número realmente considerável para avaliar a situação do município é o de ocupações de leito e óbitos.

“Esses não mentem. Testagem não apresenta seguramente a condição real de um município frente à pandemia. Isso por diversos fatores, como, por exemplo, o fornecimento das amostras para coleta. Mas, quando se trata de ocupação de UTI e óbitos, não tem jeito. Dourados tem demonstrado um bom comportamento no que trata das ocupações de leito, mas com a retomada das atividades é preciso que haja avaliação criteriosa das alterações nos números”, aconselha o pesquisador.

O boletim mais recente divulgado pela Prefeitura de Dourados mostra que a cidade já perdeu 63 vidas para a Covid-19. As ocupações hospitalares estão com 17 pacientes em leitos clínicos e 20 em leitos de UTI. Além dos douradenses, 6 pacientes que residem em outras localidades estão internados nos leitos de enfermaria e outros 12 nos leitos de terapia intensiva.

A cidade já chegou a ter 49 pacientes internados em tratamento intensivo contra a Covid-19. Isso em 24 de junho. Naquela data, 36 internações eram de pacientes que residem em Dourados e outros 13 da região.

QUEDA NAS CONFIRMAÇÕES POR SEMANA

Além de ter reduzido o número de casos ativos, caiu também a média de confirmações por semana. Conforme apresentado pelo Dourados News, após o pico de notificações entre os dias 16 e 22 de junho, quando a média diária chegou a 91 casos confirmados, a cidade teve entre julho e agosto uma redução significativa para, em média, 30,8 novos casos diários.

Cb image default
Divulgação

E apesar desses números, Croda garante que a cidade não atingiu contaminação expressiva ao ponto de garantir a imunidade de rebanho. “Para considerar um cenário de imunidade por grupo, como ocorreu em Manaus por exemplo, teríamos uma taxa de mortalidade por milhão de habitante em 400 óbitos. Isso não é realidade em Dourados nem mesmo em Mato Grosso do Sul”, afirma.

A taxa citada pelo pesquisador em Dourados é de 282,57 óbitos por milhão de habitantes. Já considerando o número a nível de Estado, esse indicador atinge 188,2 óbitos a cada 1 milhão de habitantes.

Atualmente a maior cidade do interior tem decretado apenas o toque de recolher à partir das 22h, uso de máscara em área pública e suspensão das aulas. Atividades comerciais e religiosas seguem autorizadas com regras de segurança sanitária.

DOURADOS NEWS