Sem medo da lei: influencer de Campo Grande faz manobra proibida em via pública e posta nas redes

21/04/2022 09h54 - Atualizado há 2 mêses

Nas imagens, motorista realiza manobra após ser ultrapassado por Mustang em avenida da Capital

Cb image default
Divulgação

Vídeo publicado no Instagram na última terça-feira (19) mostra influencer campo-grandense realizando manobras perigosas com um veículo em via pública. Conforme as imagens, o objetivo das manobras seria competir com um carro de luxo. As imagens foram gravadas no cruzamento das Avenidas Eduardo Elias Zahran e Costa e Silva, em Campo Grande. A postagem já possui mais de 200 mil visualizações na página do motorista, focada em conteúdo automobilístico.

Nas imagens é possível observar o autor do conteúdo sendo ultrapassado por um Mustang, carro de alto padrão. A ultrapassagem ocorre de forma cordial e os motoristas chegam a se cumprimentar, ainda assim o motorista e também blogueiro decide realizar uma manobra perigosa com o carro que está dirigindo e indaga os passageiros: "será que Mustang faz isso?". No interior do veículo haviam outras duas pessoas.

Nos comentários da publicação é possível observar diversos seguidores apoiando a atitude do motorista, algo esperado pelo teor dos conteúdos postados, sempre focado em carros modificados e manobras perigosas.

A subcomandante do BPTran (Batalhão de Polícia de Trânsito), Major Gabriela, afirma que através das imagens, o motorista estaria infringindo o artigo 175 do CTB (Código de Trânsito Brasileiro), onde a pessoa utiliza veículo para demonstrar ou exibir manobra perigosa mediante arrancada brusca, gerando multa gravíssima no valor de R$ 2,934,00 e suspensão do direito de dirigir.

De acordo com o especialista em trânsito, Herivelto Moisés, caso a infração tenha sido flagrada por câmeras da Agetran (Agência Municipal de Trânsito), o motorista poderá ser notificado pela manobra. Além da multa, a ação também pode ser enquadrada como crime de trânsito, se comprovado que a manobra colocou a vida de terceiros em risco.

"Se houvesse um agente de trânsito no local, ela [infração] é passiva de notificação", comentou o especialista. "Hoje as autoridades fazem uso de publicações em redes sociais para concretização de crimes causados por esses indivíduos", finalizou.

A reportagem entrou em contato com o motorista, mas não obteve resposta até o momento. O espaço segue aberto para posicionamento.

Gabriel Neves e Fábio Oruê

MIDIAMAX